Recorde de acesso em:
09/05/2011
é de 923
Total Visitas Únicas: 2.809.945
Visitas Únicas Hoje: 173
Usuários Online: 88
Sistema de Busca
Documento sem título

Newsletter Espacomaria
Receba nossas atualizações diretamente no seu Email - Grátis!
 

Artigos









Visto: 744 - Impresso: 37 - Enviado: 23 - Salvo em Word: 6
Postado em: 04/03/10 às 08:28:33 por: James
Categoria: Artigos
Link: http://www.espacomaria.com.br/?cat=8&id=1954
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos

Não se inquiete. A aurora se levanta silenciosa trazendo a luz do dia. O sol que se põe todas as tardes não se envergonha de nascer a cada manhã. E porque o amor é gratuidade, o sol tão discreto nem pergunta quem se beneficiará com seus raios nem qual janela estará aberta para acolhê-lo.

Seus raios penetram os cômodos da casa, mas não ocupam espaço. Está ali, e todos podem dele se beneficiar. Se não o quiser, feche a janela ou a cortina, e ele permanecerá silencioso à espera do seu sim.

 


Imagino que o amor é assim: chega, faz-se presente e está sempre pronto. Se eu não o quiser, ele não me obriga, se o aceitar não me atrapalha. Os belos discursos sobre o amor não aumentaram nem diminuíram seu dispor.
É o mesmo sempre. Ele é indissolúvel.


E o que esta conversa tem a ver com a família? Tudo! Pois não há família do futuro nem futuro da família se não houver amor. "Se eu não tiver amor, eu nada sou", lembra-nos Paulo apóstolo. E a feliz poesia do Pe. Zezinho confirma: "Que o homem carregue nos ombros a graça de um pai; que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor; e que os filhos conheçam a força que brota do amor".


O Senhor se faz próximo, muito próximo de nós. Por isso que o Pai quis que Jesus, seu Filho, nascesse numa família: a de Nazaré. Deus poderia ter escolhido outro modo de nos dar seu Filho. Ele preferiu o silêncio de uma família pobre, mas nobre em suas atitudes e decisões. Enquanto nós escolhemos formas e modos estupefatos para nos apresentarmos ao mundo, como a força bélica de uma nação - basta ver os desfiles militares - Ele escolhe a impotência do silêncio e a força que vem dos pobres. Ele escolhe a força do amor.


Nossos dias carregados de tantas fragilidades parecem desconhecer a força do amor, mesmo que dele continuemos a falar e a procurá-lo sem cessar. Quem é que não gosta de ser amado? A linguagem do amor todos são capazes de conhecê-la. Para aprendê-la basta abrir a janela da alma.


Quando falamos da família hoje, devemos sim nos perguntar qual é o lugar que nela oferecemos para o amor. Amor é encontro, é relação, desenvolvimento, é realização e santificação. Mas enquanto eu compreender o amor como sinônimo de prazer e de bem­ estar, nunca vou encontrá-lo.


O amor já nos escolheu, e é agora que temos de fazer nossa parte! Ame sua família!


A família do futuro há de se convencer que nada se constrói em cima de individualismo e de descrença. Só o amor é capaz de construir e de realizar-nos.

(Revista de Aparecida - dezembro/2009 - Pe. Ferdinando Mancílio, C.SS.R.)






       





Postado por: James - www.espacomaria.com.br em: 04/03/10 às 08:28:33 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.




LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacomaria.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES