Recorde de acesso em:
09/05/2011
é de 923
Total Visitas Únicas: 2.810.460
Visitas Únicas Hoje: 175
Usuários Online: 54
Sistema de Busca
Documento sem título

Newsletter Espacomaria
Receba nossas atualizações diretamente no seu Email - Grátis!
 

Artigos









Visto: 1252 - Impresso: 22 - Enviado: 11 - Salvo em Word: 4
Postado em: 26/11/14 às 12:30:29 por: James
Categoria: Artigos
Link: http://www.espacomaria.com.br/?cat=8&id=4262
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos

O noivado, na época bíblica, representava um acordo que tinha inclusive mais peso legal que o próprio casamento

Maria Santíssima e São José eram noivos e só foram morar juntos após o casamento. São um exemplo para os noivos da nossa sociedade.

De fato, a Virgem Maria manteve sua virgindade inclusive durante sua vida matrimonial: “José fez como o anjo do Senhor lhe havia mandado e recebeu em sua casa sua esposa. E, sem que ele a tivesse conhecido, ela deu à luz o seu filho, que recebeu o nome de Jesus” (Mateus 1, 24-25)

Maria, sua mãe, estava desposada com José. Antes de coabitarem, aconteceu que ela concebeu por virtude do Espírito Santo. José, seu esposo, que era homem de bem, não querendo difamá-la, resolveu rejeitá-la secretamente. Enquanto assim pensava, eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e lhe disse: José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo” (Mateus 1, 18-20).

Segundo a cultura judaica, José e Maria ainda não haviam se casado e, por conseguinte, não moravam juntos quando Maria engravidou de Jesus.



O Evangelho explica que Maria estava desposada com José. Mas o que isso significa?

Ainda que a palavra “desponsório” hoje signifique compromisso matrimonial (ou o noivado, a petição da mão), na época bíblica representava um acordo que tinha inclusive mais peso legal que um casamento.

Normalmente, os pais organizavam os casamentos, e era seu dever buscar o melhor cônjuge para seus filhos. Isso incluía a escolha da noiva; portanto, o amor não era a base para o casamento.

O casamento era uma aliança ou acordo entre os chefes das duas famílias. Quando se completava o acordo, o casal estava comprometido e se realizava a cerimônia de compromisso formal, na qual o pai da noiva dava seu consentimento, dizendo ao genro, como Saul disse a Davi: “Hoje serás meu genro” (1 Samuel 18, 21).

O rito do desponsório era realizado um ano antes do casamento propriamente dito. O casal comprometido já era considerado como marido e mulher; é por isso que o evangelista São Mateus os chama de “esposo” e “esposa”. Esperava-se que os noivos fossem fiéis ao longo desse ano de compromisso.



Fonte: http://www.aleteia.org



       





Postado por: James - www.espacomaria.com.br em: 26/11/14 às 12:30:29 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.




LEIA TAMBÉM










Copyright 2006 - 2015 - www.espacomaria.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES